x

Pera aí! Vai embora não!

Que tal saber mais da Escrita Digital? - O texto convincente nos ambientes da Internet. Se INSCREVA para receber conteúdos fresquinhos, alguns deles exclusivos.



    Vade-retro, Zezé

    Por Fernanda Pompeu em Escrever na internet

    Ilustração: Caio

    Quem me apresentou o Zé foi o Cesar Ribeiro do Redator OnLine.net. O Cesar é também meu mentor na Jornada #Zero a Mil. Ele está me ajudando a concretizar meu novo e-book.
    Pois bem, em uma das aulas do Cesar ele falou do tal Zé. Um cara que aparece para pôr a gente pra baixo. E o pior da história, o Zé sempre aparece.
    Resolvi falar do Zé, mas como usarei minhas próprias palavras para descrever essa personagem onisciente e onipresente, vou rebatizá-la em nome e em gênero.
    Então, prezado público, vamos a Zezé.

    O que a Zezé faz?
    Aparece quando ela quer. Não manda whatsapp, não toca a campainha, não bate na porta do quarto.
    Ela simplesmente invade a nossa mente, atrasa a nossa vida.
    Quando começamos um projeto, passado um tempinho, mesmo que estejamos firmes, ouvimos a voz da Zezé.

    Quatro frases-torpedo da Zezé:

    1
    Tem certeza que isso vai dar certo?

    A Zezé adora falar de estatísticas. Ama mostrar gráficos de barra, pizza, bolinha. Coloridos e com legendas explicativas.
    Nesses gráficos, os maus resultados sempre são superiores a 80%.
    Aí, com risinho de escárnio, ela pergunta: você acha que está nos 20%?

    2
    Será que você tem competência para dar conta do recado?

    A Zezé é ótima em acessar o arquivo da nossa memória.
    Então ela lembra que quando você tinha oito anos deixou de fazer as lições de casa por um mês inteiro. Você repetiu de ano.
    Daí carimba a pergunta: sua procrastinação veio do berço?

    3
    Lembra que você já fracassou muitas vezes.

    A afirmação é tão incisiva, afinal quem não fracassou na vida? Causa uma dor tão aguda que nubla todos as vezes que você venceu.
    E Zezé não para aí: desista. Afinal desistir é melhor do que insistir no erro.

    4
    Quando você terminar o projeto vai descobrir que tem muitos concorrentes mais fortes e melhores do que você.
    Aqui é nocaute. Um soco no nosso nariz. Nesse momento, a gente se sente menor que peixinho de aquário.
    A Zezé esmurra novamente: você vai ganhar de tubarões?

    Essa é a Zezé, a dama das verdades prontas. E o mais maluco é que a Zezé está dentro da gente.
    Isso mesmo, a Zezé só está viva por que se alimenta dos nossos medos.
    #somostotodoszezé.

    Mas qual a dica?
    Ponha a Zezé pra correr:

    1
    Você só terá certeza se o projeto dará certo, se concluir o projeto, se chegar até o final.
    Qualquer coisa antes disso, é chute.

    2
    Competência é construção. Nada vem do berço, salvo fraldas e mamadeiras.

    3
    Fracassar faz parte da vida. Vencer também.

    4
    Você não precisa enfrentar tubarões. Descubra a sua praia e nade com estratégia.

    E daí?
    Depois de tudo isso, a Zezé irá desaparecer? Nunca de vez.
    Mas toda vez que ela voltar, você estará mais experiente e poderá até rir na cara dela.

    .
    A Zezé também em Podcast
    Gostou? Passe para frente:


    Ela simplesmente invade a nossa mente, atrasa a nossa vida.
    Quando começamos um projeto, passado um tempinho, mesmo que estejamos firmes, ouvimos a voz da Zezé.

    Compartilhe
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  

    9 respostas para “Vade-retro, Zezé”

    1. ACAS disse:

      Muito interessante!

    2. Marco disse:

      Obrigado !!!

    3. Excelente descrição, Fernanda.

      Realmente precisamos deixar a Zezé de lado e fazer a nossa parte, insistir no projeto para que ele se concretize.

      Reflexão muito boa.

      Vamos em frente! 🙂

    4. E o fato é que criamos, alimentamos e fazemos crescer a nossa Zezé.A minha está poderosa, se achando…. Dia desses ponho ela numa gaveta á chave hehehe…

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    top