A escrita ágil de um e-book

Por Fernanda Pompeu em Escrever na internet

Se tudo ficou mais ágil com a pandemia do coronavírus, a escrita também acelerou. Já esclareço: não se trata de escrever apressadamente, atropelando o português, deixando preposições, concordâncias e crases pelo meio do caminho. Nada disso. Se trata de escrever textos com cheirinho de tinta fresca – ops! – com cheiro de bytes, carregados de conteúdos prontos para serem lidos e aplicados.

Porque eu tenho pressa, você tem pressa e o mundo tem pressa também. Mas como não comer cru na pressa? Vai a dica: gerenciando. Pressa gerenciada vira agilidade. Agilidade para quê? Para não deixar o momento oportuno passar. Ah, o povo com sua sabedoria: não deixe para amanhã o que pode ser feito hoje.

Recém-finalizei meu e-book A Escrita no Digital – como acelerar o texto para turbinar seu propósito. Escrevi um e-book para ser exatamente um e-book, isto é, um arquivo eletrônico, acessado por um link. Mas o principal foi experimentar a escrita ágil.

Principalmente quando recordo: levei 10 anos para escrever um romance (três décadas depois, ele segue inédito). Por quê? Nenhuma editora se interessou. Levei 2 anos para livro um livro de microcontos, o 64. Este teve melhor sorte, foi publicado pela Brasiliense. Mas não existe mais em nenhuma livraria.

o e-book eu escrevi em 60 dias. Ele ficou ruim por conta disso? Não. Eu lancei mão da escrita ágil! Não fiquei pensando na “morte da bezerra”, não pensei em nenhum prêmio. Simplesmente teclei em frente! É claro sempre centrada no leitor que quer, deseja ou precisa, escrever na internet.

Explico a agilidade:

Um e-book não tem a pretensão comum dos livros impressos. Ele não se pensa definitivo, abrangente, conclusivo. Ele traz verdades provisórias. É pontual e absolutamente objetivo. O tempo inteiro, em que o escrevia, uma voz gritava no pé do meu ouvido: vá direto ao ponto, mire no alvo, acerte na mosca.

Escrever um e-book é desafiante. Ao contrário do livro impresso, ele é bom se for aplicável. O leitor se apropria do conteúdo e sai aplicando. Autoajuda?!? Sim, um bom e-book ajuda o leitor a se ajudar.

Link para adquirir o e-book e toda área de membros:
A Escrita no Digital


Para continuar o assunto ouça o podcast #Delícia de Escrever um e-book

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

top