Por que sou cronista?

Por Fernanda Pompeu em Escrever na internet

Porque no frigir dos ovos e do tempo, a substância da minha vida é o pequenininho.
O detalhe.
Acho que sou 10% de grandiosidade e 90% de costurinhas.
De jeitinhos de lavar a louça, de maneiras de sorrir, de formas de chorar.
Sou como a respiração que – por banal e constante – nem reparo muito.
Penso que a vida é feita de caquinhos.
Todos os caquinhos de todos os minutos de todas as horas de todos os dias de todas as décadas.
Caquinhos até a eternidade.

Leia também Como se faz uma crônica

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

top